Para Efraim a derrubar o veto é reconhecer o trabalho das PQMEs

De acordo com o deputado Efraim Filho (DEM/PB) “os empreendedores formam o alicerce dos empregos no País. Somente no ano passado, as Pequenas e Médias Empresas (PMEs) tiveram um saldo positivo de quase 500 mil postos de trabalho formais, ante um saldo negativo de pouco mais de 200 mil das médias e grandes companhias”.
Efraim disse ainda que a derrubada do veto ao Refis vai garantir às pequenas empresas tratamento semelhante às grandes para parcelamento de dívidas tributárias em até 180 vezes, com descontos de multas e juros menores. Por enquanto só as grandes e médias empresas têm esse privilégio para negociar dívidas tributárias.
Segundo ele, 260 mil micro e pequenas empresas do país fizeram parcelamento de impostos por um programa menos vantajoso e poderão migrar para o Refis agora. “E para as cerca de 100 mil empresas que não fizeram parcelamento e foram excluídas do Simples, as entidades do setor vão cobrar do Comitê Gestor do Simples Nacional que inclua as inclua no parcelamento”, afirmou Efraim Filho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *